Criar um robô não exige conhecimentos avançados, sensores que custam o olho da cara, ou todo o tempo do mundo para a construção. Também não é a tarefa mais fácil que você vai fazer na sua vida. Um robô, basicamente, é uma ferramenta que vai atender a um ou mais propósitos automaticamente, com pouca ou nenhuma interferência humana. Portanto, um carro de controle remoto, apesar de ser uma criação legal, não é um robô, é um brinquedo. Agora, um carro de controle remoto que carrega blocos de montar de um ponto A até um ponto B por um trajeto pré definido, desviando de obstáculos que possam surgir no caminho por conta própria, aí já estamos começando a falar de um robô.

Como criar um robô caseiro?

O primeiro passo é entender que seu robô vai precisar de um cérebro próprio, mesmo que você escolha usar um controle remoto depois. Um robô pode receber ordens e comandos, mas ele tem que ter a capacidade de tomar decisões sozinho, ou seja, ele pode ser programado. Na programação, o comando “if-then” (se-então) demonstra bem a capacidade de uma máquina pensar por si própria, pois a máquina em uma situação (if) reagirá de uma forma pré definida (then). Exemplo: se o sensor de iluminação do robô for acionado (if), ele irá bater palmas (then)

Portanto, aprender algumas noções de programação são essenciais na hora de criar o seu robô, mesmo que você compre um kit pronto de robótica, ou use um kit mais avançado, como o famoso kit Lego NXT e Lego Mindstorms. Existem programas que podem facilitar a interface de programação de robôs caseiros, mas esses programas cortam uma parte muito importante do aprendizado na hora de criar um robô.

Para seu primeiro robô, entretanto, o primeiro kit que recomendamos é um kit Arduino ou Raspberry. São kits baratos, com poucos sensores, e a programação é fácil o suficiente para até uma criança conseguir fazer sem muita dificuldade. Sensores adicionais e módulos podem ser comprados para esses kits, para fazer robôs complexos e bem completos.

Entendendo o que é um robô

Um carrinho de controle remoto não é um robô. Se ele é um carrinho de controle remoto que anda sozinho, aí estamos falando de um robô. (Foto: hacknmod.com)

Como criar um robô: é fácil?

A construção de um robô não é fácil: é um desafio. Não estamos falando de criar um kit pronto de nível básico. Estamos falando de kits intermediários, começando pelos kits Arduino e Blackberry. Um pouco de estudo, muita tentativa e erro, lidar com bastante frustração, são apenas alguns dos “poréns” em se criar um robô.

Como criar um robô caseiro simples?

Se você leu até aqui já é um bom sinal da sua motivação. Quem quer construir um robô a partir do zero vai precisar do seguinte:

  • Uma base: seu robô pode ser estático ou móvel. A base é a estrutura que vai suportar todo o cérebro, sensores, circuitos, fios, rodas, motores, engrenagens, enfim, todas as partes de seu robô.
  • Ferramentas: furadeira, chave de fenda, serra, chave philips, chave de testes, multímetro, solda, lixas. Basicamente, um kit completo de ferramentas para trabalho com elétrica e eletrônica, mais um kit básico de ferramentas para trabalho com madeira, plástico, e metal. Uma retífica portátil é uma excelente aliada, como as famosas Dremel.
  • O cérebro: um Arduino ou um Raspberry, para funcionar como central do robô. É mais fácil do que projetar e construir um microcontrolador do zero, e muito mais simples.
  • Sensores, motores, e módulos: o robô tem que ser capaz de executar as tarefas para as quais foi concebido. Isso significa ter sensores que o auxiliam nessas tarefas, tais como sensores de luz, GPS, som, vibração, proximidade, etc. Os  motores são responsáveis por darem movimento ao robô. Os módulos são partes do robô designadas para um fim específico. Por exemplo, um módulo de bateria, ou um módulo de análise de composição do solo. Nossa recomendação é que todo seu trabalho seja baseado em módulos prontos, pois são mais simples de trabalhar, principalmente se for seu primeiro robô.
  • Conhecimento de uma linguagem de programação: pode ser qualquer uma, o importante é que você seja capaz de programar seu robô para executar as tarefas que você deseja.

São coisas simples, mas que mesmo engenheiros experientes podem demorar anos para integrar com eficiência. Por isso, nossas dicas partem do princípio que criar um robô que outras pessoas já conseguiram fazer com sucesso, e usando o conceito de robôs modulares, para facilitar tanto a programação quanto a flexibilização do seu projeto. Não que você não deva tentar construir um robô “do zero”. Acontece que poucos robôs no mundo foram construídos “do zero”. Todos são constantes ensaios e erros, ou melhorias em cima de plataformas de outros robôs. Portanto, fica a dia de começar “copiando” para depois então, fazer seu próprio, ok?

Como criar um robô de luta, um robô de tarefas domésticas: identifique as tarefas que o robô deve executar

Antes de sair comprando kits de sensores e vários módulos, responsa à pergunta: qual a finalidade do robô? Diversão? Brinquedo? Para aprender sobre robótica? Praticar habilidades de programação, eletrônica, e elétrica? Você deve ter uma resposta na ponta da língua para essa pergunta. E depois, deve definir uma função específica simples para seu robô. Como assim?

Imagine que você quer fazer um robô para participar de lutas. Esse robô tem como arma um disco giratório sobre sua base, e ele se move sobre rodas. As seguintes tarefas tem que ser executadas pelo robô:

  • Movimentação em todas as direções
  • Identificação do alvo
  • Acionar e direcionar o disco giratório contra o alvo
  • Manobras evasivas e manobras de ataque
  • Capacidade de voltar para a base caso capote
  • Capacidade de receber comandos no caso de falha no sistema de navegação

Como exemplo na hora de programar o robô, serão tarefas como “se (if) o sensor de proximidade mostrar o alvo na distância X, então (then) o robô aciona o disco giratório e movimenta-se na velocidade Y na direção do alvo”. São várias linhas de comando como essa, que tem de tratar de todas as situações de combate. Você verá, com o tempo, que uma linha pode entrar em conflito com a outra, e há códigos na programação que lidam com esses conflitos e a hierarquia de decisões. A mesma linha de raciocínio, de ter várias decisões, e ter que decidir a hierarquia entre elas, serve para qualquer outro robô que você for construir.

Dissemos que ia ser um desafio. E olha que essa parte da programação nem entrou nos problemas de hardware, que são os sensores não funcionando direito, o posicionamento dos sensores entrando em conflito. Habilidades de design também são importantes em um robô, vale lembrar.

Como criar um robô simples: comece com um kit pronto

Como deu pra perceber, criar um robô não é uma tarefa simples, mas você pode facilitar sua vida para seu primeiro robô com um kit pronto. Existem kits para diversos tipos de robôs usando as plataformas Arduino e Raspberry, todos já com toneladas de códigos de programação disponíveis para você brincar antes de se aventurar nos primeiros códigos por conta própria. O melhor desses kits prontos é que por eles serem modulares, você pode acrescentar e remover módulos e sensores, e modificar a programação para aprender novas habilidades. Depois de um tempo, dá pra arriscar começar seu primeiro robô independente, até mesmo sem usar Arduino ou o Raspberry, usando seu próprio kit de microcontroladores e circuitos para a programação do robô. Você vai aprender até noções de manutenção de eletrônicos no meio do caminho, se você se dedicar bem.

Enquanto você estiver montando seu robô, antes, e depois de sua experiência, use nosso espaço de comentários para compartilhar como está sendo para você. A robótica, assim como muitos engenheiros já sabem, envolve uma enorme dose de ensaio e erro (mais erros do que acertos, na verdade). Você e muitos outros podem compartilhar suas experiências e aprender muito criando e modificando seus primeiros robôs!

2 comentários para “Como criar um robô?”

  1. Salvador Baptista

    Muito bom eu já estou começando

    Responder
    • Equipe Palpite Digital

      Que legal Salvador

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)