Tudo começou quando um pequeno grupo de cineastas canadenses se uniram para produzir um filme de instalação multi-telas na EXPO ’67, em Montreal. A instalação foi parte de uma competição para criar a experiência do primeiro filme com uma tela realmente grande. Os cineastas fizeram isso, sincronizando nove projetores juntos. Foi um enorme desafio tecnológico. A equipe ambiciosa, que um dia iria começar a empresa a ser conhecida como IMAX foi confrontada com uma outra pergunta: não havia uma maneira melhor de fazer isso?

A resposta, claro, foi sim. Mas haveria muitos desafios a superar antes de chegar lá. Nos três anos seguintes, a tecnologia IMAX nasceu, e sua câmera, projetores e sistema de tela de cúpula estrearam no Pavilhão Fuji na EXPO ’70 em Osaka, no Japão.

A introdução inicial do IMAX para o público foi destinaado a um nicho bastante definido de estabelecimentos. Especialmente construídos, cinemas foram projetados e colocados em museus, centros de ciência e alguns destinos comerciais emblemáticos. O primeiro sistema de projeção IMAX permanente foi instalado na Cinesphere Ontario Place, em Toronto, em 1971, onde permanece em operação. Nunca uma empresa estagnada, o IMAX logo se expandiu ainda mais, com a invenção de novas tecnologias, incluindo a cúpula IMAX e 3D IMAX.

A IMAX veio a público em 1994, quando ela começou a ver o potencial de crescimento em conteúdo Hollywoodiano. Se IMAX poderia fazer documentários de poder extraordinário, por que não poderia fazer o mesmo para filmes? Mergulhando de cabeça, a empresa expandiu seus negócios para os Estados Unidos, mas o modelo de negócios novo e ambicioso logo passou por apuros: Graeme Ferguson e Roman Kroitor, dois dos fundadores IMAX, ainda estavam a produzir a maioria dos filmes para serem exibidos em telas IMAX. Eles e o pequeno punhado de produtores IMAX não poderiam fazer filmes suficientes para preencher todas as vagas disponíveis nos cinemas da América do Norte. Enquanto isso, Hollywood não faria filmes IMAX até mais teatros serem construídos.

Tecnologia IMAX

No Brasil ainda temos poucos cinemas com a tecnologia IMAX, mas com nosso mercado potencial de espectadores, com certeza haverá uma expansão deste público em breve. (Foto: pfangirl.blogspot.com)

Para você ter uma ideia do que a tecnologia IMAX: imagine uma tela de cinema com 30 metros de largura. Imagine caixas de som posicionadas ao redor do cinema para proporcionar a maior imersão possível dentro do filme. Coloque nessa mistura um projetor de alta resolução e alta tecnologia, muito melhor do que qualquer um que você tenha visto antes. Coroe este balde de tecnologia com cadeiras que ficam sempre de frente para a tela, sem ninguém na sua frente para atrapalhar. Você pode imaginar, mas só vivenciando que saberá como é.

Para resolvê-lo, o IMAX voltou ao laboratório e inventou uma nova tecnologia revolucionária chamada DMR – ou  Digital Re-mastering (Re-masterização DigitaL). Este é o processo de transformar um já poderoso filme de Hollywood em um blockbuster de IMAX de tirar o fôlego. A técnica permitiu trabalhar com diretores em dezenas de maneiras de melhorar um filme e para alterar a saturação, brilho, contraste e uma pontuação de outras variáveis ??em praticamente cada frame. Isso significava que os estúdios poderiam transformar seus filmes mais emocionantes em filmes IMAX ainda mais emocionantes. O primeiro filme a utilizar esta técnica era Apollo 13, e reuniu-se com meses aclamação tremendas muitos após o lançamento original do filme. Depois disso, o romance de Hollywood com a tecnologia IMAX floresceu, expandindo para o resto do mundo.

2 comentários para “O que é a tecnologia IMAX em cinemas?”

  1. Alex

    Muito interessante saber como funciona esta tecnologia. Vou ver os filmes com outros olhos agora.

    Responder
    • Equipe Palpite Digital

      Oi Alex,

      Que bom que gostou do artigo.
      Realmente o cinema e a TV evoluíram demais nos últimos anos.

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)