Todos nós já ouvimos sobre a compactação de arquivos. Qualquer um que transfere regularmente arquivos da web está familiarizado com os formatos ZIP e RAR, e quem edita arquivos de mídia, como vídeos e fotos, sabe que a compressão é necessária para compartilhar imagens, músicas e vídeos na web com facilidade. A compactação de arquivos está no centro de como a web funciona, porque nos permite compartilhar arquivos que, de outra forma, poderiam levar muito tempo para serem transferidos. Mas como isso funciona? Como zipar um arquivo? Ou como zipar uma pasta de fotos?

Se você quer apenas zipar de uma vez, sem pensar muito, vá direto ao final do artigo e assista ao vídeo, que é bem informativo. Agora, se você quer aprender a decidir qual o melhor tipo de compressão para o uso que você precisa, recomendamos que você tome um tempinho para ler nosso artigo inteiro.

Quais são os tipos de compressão de arquivos?

Existem dois tipos principais de compressão: sem perdas (lossless) e com perdas (lossy). Saber qual desses dois tipos que você precisa é um bom começo para aprender como zipar fotos, por exemplo.

Compressão lossless/Compressão sem perdas

A compressão sem perdas (lossless) funciona através da remoção de redundância, da repetição. Como funciona? Imagine que você tem uma parede formada por tijolos amarelos, vermelhos e azuis. Estes tijolos, juntos, formam uma parede inteira. A parede está lá, formada, por exemplo, por 10 tijolos vermelhos, 20 tijolos azuis, 50 tijolos amarelos. Isso é o que você enxerga: a quantidade exata de tijolos. Porém, é possível representar essa parede de várias outras formas. Por exemplo, ao invés de colocar todos esses tijolos da parede para contá-los e representá-los em um projeto, por exemplo, eu posso simplesmente pegar apenas um tijolo de cada cor e anotar a quantidade de tijolos daquela cor que a parede tem. Dessa forma, eu reduzo a quantidade de tijolos (de 80) para apenas 3 tijolos. Usando agora um texto como exemplo, o texto “saaaccadddaaa” seria comprimido da seguinte forma: “s1a3c2a1d3a2”, com cada número representando a quantidade de vezes que a letra se repete na palavra original. Este é um dos métodos para compressão lossless, mas ilustra bem como é uma das bases do processo.

A principal vantagem da compressão sem perdas é que você poderá recuperar o arquivo original sem perder informações. Isto é, se você quiser construir a parede de tijolos de novo, ela voltará ao seu formato original. É o tipo de compressão ideal para quem está trabalhando com arquivos de mídia (como fotos e vídeos), e só quer poupar um pouco de espaço no HD.

Tipos de arquivos de imagem sem compressão: RAW, BMP, PNG

Tipos de áudio sem compressão: WAV, FLAC, ALAC

Tipos de arquivos de vídeo sem compressão: H.264 (mas há um pouco de perda)

Ao zipar uma pasta, tenha em mente que os dados originais do arquivo não serão perdidos. Porém, zipar um arquivo lossless pode resultar em uma redução muito pequena no tamanho do arquivo, já que uma maior compressão pode resultar na perda de dados e, consequentemente, da qualidade original do arquivo. Por exemplo, zipar um arquivo AVI pode reduzir muito pouco o tamanho do vídeo, e é mais eficiente usar uma compressão com perdas para reduzir a qualidade do vídeo e assim, conseguir reduzir seu tamanho. É importante ter um arquivo original sem perdas para você poder editar. Ao capturar vídeos de jogos, por exemplo, os arquivos sem compressão ocupam muito espaço no HD, e precisamos de uma solução para isso. Entram os arquivos de compressão com perdas.

Tipos diferentes de compactação de arquivos

Comprimir arquivos com ou sem perda de qualidade é algo importante de aprender, principalmente para quem quer economizar espaço no HD. (Foto: divulgação)

Compressão lossy/Compressão com perdas

Felizmente, a compressão sem perdas, com arquivos enormes, não é a única opção. Você também pode simplesmente informações de um arquivo durante a compressão. Isso é chamado de compressão com perdas ou “lossy”. Acha isso ruim? Nem tanto. Veja exemplos de compressão com perdas:

Tipos de arquivos de imagem com compressão: JPEG e GIF

Tipos de áudio com compressão: MP3, MP4, OGG

Tipos de arquivos de vídeo com compressão:AVI, WMV, MKV

Alguns sons de um MP3, por exemplo, que os seres humanos não podem ou mal consegue ouvir, são removidos como parte da compressão. Quanto mais você compacta um arquivo, mais informações são removida, por isso que um arquivo de vídeo que for muito comprimido terá uma imagem muito ruim. Sabe muitos dos vídeos que você recebe no WhatsApp e que parecem ter uma qualidade ruim? Na verdade, isso acontece por conta da compactação do arquivo, que teve sua qualidade reduzida para poder ser enviado com mais facilidade pelo aplicativo. O mesmo vale para imagens em sites, que não precisam de uma qualidade tão boa do que imagens para impressão, por exemplo. Após a edição de um arquivo sem compressão, você pode (e deve) reduzir um pouco a qualidade

Como zipar um arquivo?

Você precisa de um programa de compressão de arquivos. Exemplos são o WinZIP, BraZIP, WinRAR, 7Zip, e até o próprio Windows, que tem uma compressão embutida. Após baixar e instalar o programa de sua preferência, basta clicar com o botão direito sobre uma pasta, arquivo, ou grupo de imagens e clicar em “comprimir”. No caso da compressão nativa do Windows, clique com o botão direito sobre o arquivo ou pasta, clique em “enviar para” -> arquivo comprimido/pasta comprimida. Crie um nome e pronto: você “zipou” seu arquivo.

Mas e se não diminuir o tamanho o suficiente?

Provavelmente você quer aprender como zipar um arquivo para enviar por e-mail, ou até pelo celular. Agora entra muito bem a explicação que demos sobre arquivos com perdas e sem perdas. Pergunte-se: o arquivo que você precisa enviar pode ter perdas ou você precisa enviar o arquivo inteiro? Se você pode ter perdas, o arquivo original deve ser comprimido com um software específico de edição. Por exemplo, você precisará de um programa para comprimir arquivos de áudio, para “piorar” a qualidade. Ou um programa como o Handbrake, para alterar a qualidade e compressão de um vídeo. Para imagens, até mesmo o Paint, do Windows, pode te ajudar: basta abrir a imagem original no Paint, clicar em “salvar como” e na tela que abrir, na opção “salvar como tipo”, escolher o formato JPG. Mas também existem programas online e que você pode baixar para reduzir a qualidade e o tamanho de imagens.

Se o arquivo está só um pouco maior do que o limite para enviar e você não quer ter perdas, troque o tipo de compressão. Atualmente, o formato 7z (do programa 7Zip) é a compressão mais eficiente, ou seja, que mais reduz o tamanho dos arquivos sem a perda de dados. Baixe e instale o aplicativo para poder ler e zipar uma pasta ou fotos.

Agora, se você não pode perder qualidade dos arquivos que está enviando, a única solução é dividir a pasta ou arquivos zipados em vários. Como?

Primeiro, baixe um dos programas citados (com o WinRAR é mais fácil). Assim que você instalar o programa, clique com o botão direito sobre o arquivo, pasta ou documento que você precisa reduzir. Clique em “adicionar para o arquivo”. Uma janela vai abrir com várias abas.

Na aba “Geral”, existe uma opção “dividir para volumes, tamanho”. Escolha o tamanho em Bytes, Kbytes, MB ou GB, termos da informática relacionados ao tamanho de um arquivo. O arquivo zipado será então dividido em vários arquivos, no tamanho que você especificou e sem perdas de qualidade. Basta anexar os arquivos ao e-mail ou mensagem que você estiver enviando, limitando a quantidade dos arquivos de acordo com o tamanho limite do aplicativo que você está usando. Só lembre-se que você tem que enviar todos os arquivos que foram criados na compactação para que o destinatário possa abri-los.

Os aplicativos de compactação de arquivos, geralmente, tem uma opção “comprimir e enviar por e-mail”, clicando com o botão direito sobre os arquivos, fotos, vídeos ou documentos que você quer enviar. Isso facilita bastante o trabalho.

Use um serviço de armazenamento na nuvem

Agora, imagine: todo este trabalho poderia ser reduzido se você tivesse usado um serviço de armazenamento na nuvem. Os melhores servços de armazenamento na nuvem dependem um pouco de suas necessidades, mas são bem fáceis de escolher e usar. Ao fazer o upload dos seus arquivos para a nuvem, é possível compartilhar o link para os arquivos com amigos, familiares, e colegas de trabalho, e até mesmo enviar o link para o arquivo por e-mail. É simples, e torna desnecessário que você compacte o arquivo só para enviar para os outros.

Esperamos ter ajudado. Mas se ainda ficou alguma dúvida, deixe nos comentários e faremos o possível para ajudar!

2 comentários para “Como zipar arquivos, fotos, pastas e documentos?”

  1. Wesley Viana Almeida

    Estou com um contracheque precisando enviar para o banco por Gmail. Não consigo. Diz ser grande o arquivo. Tenho que Zipar. Com qual app gratuito conseguiria? Muito obrigado!

    Responder
    • Equipe Palpite Digital

      Wesley, você pode instalar o winrar no seu computador para compactar o arquivo, ou então o usar o próprio do windows.

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)