Se você estiver no mercado para comprar uma HDTV ou um monitor, você provavelmente já ouviu falar muito sobre velocidade. Quando os anúncios e comentários falar sobre o quão rápida é uma HDTV ou um monitor, estão se referindo a taxa de atualização do monitor ou quantas vezes a imagem é atualizada em um dado período de tempo. Televisão e filmes não mostram o movimento real tanto com dezenas ou centenas de quadros por segundo, como um rolo de filme. Quanto mais rápida for uma HDTV/monitor, mais quadros por segundo que será capaz de exibir.

Então, quanto mais rápido a taxa de atualização, melhor, certo? Mais quadros significam cenas mais suaves, certo? Em teoria, sim. Em marketing, mais sim. Na prática, não tanto.

Para responder a essas perguntas, você tem que entender duas coisas importantes sobre vídeo. Primeiro, você não pode adicionar detalhes além do que já estão no material de origem. Segundo, o material de origem nunca é maior do que 60 Hz. Quando você assistir a um filme em Blu-ray, é uma imagem 1080 p a 60 Hz. O disco apresenta 60 quadros entrelaçado ou 30 quadros progressivos em resolução 1920-por-1080 por segundo de vídeo. Para filmes que foram gravados em película, o filme original tem na verdade 24 quadros por segundo, convertidos para 30 quadros por meio de um processo conhecido como 2:3 pulldown. Ele distribui os quadros de origem para que possam ser distribuídos por 30 em vez de 24 quadros por segundo. Esses quadros são, então, entrelaçados (combinados e embaralhados) a 60 quadros por segundo (FPS – Frames Per Second) para coincidir com a taxa de atualização de 60 Hz da grande maioria das TVs que você pode comprar hoje. No caso dos televisores 1080 p, os quadros são puxados para baixo a 60 quadros completos por segundo, e tanto os players de Blu-Ray quanto HDTVs ignoram qualquer etapa de entrelaçamento.

Esta é uma antiga tradição, porque TVs americanas têm apresentado 30 (na verdade, 29.97) quadros por segundo e funcionavam a 60 Hzs. Não é realmente um problema, porque entre entrelaçamento e o pulldown, o processo não tenta adicionar informações à imagem. É simplesmente convertê-la para funcionar na TV. 1080 p 60 é o padrão high-end atual para HDTVs e nenhuma mídia comercial ultrapassa a resolução ou taxa de quadros. De fato, muitos filmes em Blu-Ray até mesmo puxam a taxa de quadros para baixo e exibem 1080 p 24, ou 1920-por-1080 de vídeo a 24 quadros por segundo, para fazer as imagens parecerem mais próximas do original.

Taxa de atualização de televisores

Na esquerda, temos um exemplo de atualização “normal”. Na direita, o exemplo de uma atualização “dobrada”, que só fará uma real diferença para jogos e televisores 3D. (Foto: asus.com)

Os aumentos das taxas de atualização como 120 Hz, 240 Hz, e vários outras velocidades em HDTVs modernas, por outro lado, empurram o conceito muito longe. Lembre-se do que eu disse anteriormente sobre não ser capaz de adicionar detalhes além do que está no material de origem? Isso é exatamente o que essas taxas de atualização fazem. Elas interpolam dados entre cada quadro para produzir os quadros adicionais. Mas os dados desses quadros combinados só podem basear-se nos quadros de origem e qualquer magia matemática que a HDTV esteja empregando para descobrir o meio termo. Esta técnica pode ajudar a reduzir a trepidação. Algumas HDTVs de plasma podem até mesmo chegar a uma taxa de atualização de 600Hz, que, quando você considera que o material de origem vai ser entre 24 a 60 quadros por segundo, send francamente um exagero.

Na verdade, esse efeito pode produzir uma sensação distintamente artificial, não natural para o vídeo. O movimento pode parecer muito suave, quase um sonho em comparação com os filmes e programas de televisão que já nos educaram para os 23 quadros por segundo. A ação pode parecer apenas um pouco acelerada, a ponto de parecer irreal, e isso pode levá-lo para fora da experiência mais rápido do que qualquer trepidação. Na verdade, a trepidação é tão natural como granulados em filmes, e uma parte sutil, mas necessária ao assistir TV e filmes.

Gostos podem variar, e você pode desfrutar do potencial de redução de trepidação ou a suavização de movimentos em uma HDTV com 120 Hz ou 240 Hz. Mas eles não acrescentam nenhum detalhe real para o vídeo, e eles certamente não deve ser considerado quando você for comprar uma HDTV. Mesmo se você comprar um kit que suporte 120 Hz ou 240 Hz (ou até 480Hz ou 600Hz) de vídeo, você pode querer desativá-los e assistir o vídeo sem qualquer interpolação ou trepidação.

A taxa alta de atualização só é importante mesmo em dois casos: para televisores 3D e monitores que serão utilizados para jogos, 3D ou 2D. Isto porque quanto maior a taxa de atualização da imagem 3D, menos cansativo será para seus olhos. No caso dos jogos, a atualização de quadros por segundo irá variar de acordo com seu computador e os gráficos que ele é capaz de produzir.

2 comentários para “O que é a taxa de atualização de um monitor ou TV?”

  1. Mary

    Olá, boa noite, eu vou comprar uma TV nova e a Apple TV, você me recomenda qual aparelho de TV seria melhor? Vi que o único requisito para Apple tv é que seja HDMI. Agradeço.

    Responder
    • Equipe Palpite Digital

      Mary,
      É difícil fazer recomendações pelo fato de que o mercado muda muito rápido.
      Além disso há várias outras informações necessárias para que eu pudesse lhe dar uma opinião.

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)