O UP ou Processo Unificado é um processo iterativo e incremental para desenvolvimento de software. Ele é dividido em fases e cada iteração passar por cada uma destas fases, tomando mais tempo nas fases mais relacionadas ao trabalho da iteração.

Uma dúvida comum que surge ao estudar o RUP ( e também o UP e suas variações) é sobre o momento em que é feito o controle da qualidade. Por se tratar de um sistema de desenvolvimento evolucionário, em que alguma entrega interna ou externa é liberada a cada iteração, é de se esperar que a qualidade seja assegurada em cada uma destas entregas.

Seria inimaginável um processo tão difundido que não encarasse a qualidade como um tema sério. No UP, a verificação da qualidade do software é feita durante todo o processo, isto é: em todas as fases. Desde as fases iniciais a qualidade é considerada, por exemplo, a partir do planejamento da qualidade. Além disso, a verificação da qualidade é uma das 6 práticas fundamentais previstas na perspectiva do RUP, listadas abaixo:

  1. Desenvolver software iterativamente
  2. Gerenciar requisitos
  3. Usar arquiteturas baseadas em componentes
  4. Modelar o software visualmente
  5. Verificar a qualidade do software
  6. Controlar as mudanças do software

Estas 6 práticas devem ser consideradas e utilizadas em cada fase e em todo o processo.

RUP e a qualidade

Qualidade no RUP – Considerada em cada um dos processos, no projeto todo.

Detalhando melhor a prática número 5, que tem a ver com o assunto deste artigo, devemos partir do fato de que a garantia da qualidade é uma das falhas mais comuns em projetos de software. Isto acontece, dentre outras causas, devido ao imediatismo que leva a criar projetos sem planejar as diretivas e metas de qualidade. Há também casos em que todo o controle da qualidade é feito por equipes diferentes das que atuam desenvolvendo o projeto.

O RUP facilita este controle propondo que o controle da qualidade seja feito por todos os membros da equipe em todo o processo. Não há tarefas especificamente direcionadas para a qualidade pois o RUP assume que cada membro da equipe deve ser diretamente responsável pela qualidade em sua parte do processo e também pelo processo como um todo. Esta prática objetiva descobrir um nível de qualidade esperado, ideal, e fornece os testes em cada processo para medir este nível.

Em resumo, o RUP leva à criação de um projeto com qualidade satisfatória se todos os envolvidos participarem garantindo a qualidade nos processos em que são responsáveis. o RUP também fornece maneiras de medir e avaliar se a qualidade desejada está sendo atingida!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)