Na montagem de um computador, dois elementos devem ser escolhidos com muito cuidado: a placa mãe e o processador. Existem algumas características desse sistema nervoso na montagem de um PC, e nós vamos esmiuçar em detalhes cada uma delas para que você escolha as peças certas que se adequem às suas necessidades.

Plataforma da placa mãe/form factor: ATX, micro ATX, e-ATX…

A plataforma é um conjunto de normas que incluem o tamanho, forma da placa, disposição dos furos de montagem, a interface de energia, o tipo e colocação de portas e conectores na placa mãe. Tais fatores influenciam diretamente no tamanho e forma do gabinete onde a placa mãe e outros componentes do computador serão instalados. Você deve escolher um gabinete que se ajuste à sua placa mãe escolhida, e não ao contrário. Caso você já tenha um gabinete em casa e queira usar ele de qualquer jeito, escolha uma placa mãe que seja da plataforma que se encaixa no gabinete.

Comprar placa mãe com processador: suporte ao processador que você quer

Você deve selecionar uma placa mãe que suporta o tipo e a velocidade de processador que você deseja usar e tem o tipo correto de soquete para esse processador.

Tome muito cuidado quanto ao soquete. Soquete é um termo como LGA1150, LGA2011, FM2, AM3, e por aí vai, e não i7, i3, Athlon, que são nomes de famílias de processadores. Não confunda. O soquete é como uma tomada para o processador, e existem vários padrões. Mas ao contrário das tomadas normais, não há como colocar um adaptador.

Placa mãe e memória RAM

A placa-mãe você selecionar deve suporta memória RAM suficiente para o uso que você deseja. O valor mínimo padrão deve ser de 8 GB DDR3 em Dual Channel, o que significa 2pentes de 4 GB de memória cada instalados separados para melhor desempenho. Se a placa mãe suportar quad channel, então é interessante ter 4 pentes de 2 GB de memória cada instalados na placa mãe.

Uma observação importante: pode ser que ao ler esse artigo, o DDR4 já tenha se tornado mais barato que o DDR3, ou até já estejam usando o DDR5. O importante é lembrar:

  • Quanto mais memória a placa mãe suporta, melhor
  • Quanto maior a velocidade de memória que a placa mãe suporta, melhor
  • Quanto mais canais de memória a placa mãe suporta, melhor

Não se esqueça de verificar no site da fabricante da placa mãe a lista de memórias compatíveis com a placa mãe antes de comprar a memória. É bom pra você ter uma ideia de preço.

Chipset da placa mãe

O chipset é o cérebro da placa-mãe, e alguns chipsets são melhores que outros. O chipset não pode ser substituído, então a única maneira de resolver os problemas causados por um chipset ruim é substituir a placa mãe completamente. Pesquise bem as opiniões de quem usa uma placa mã com o chipset que você quer comprar, antes de fechar negócio..

Cuidados na compra de uma placa mãe

Comprar uma placa mãe demanda um pouco de pesquisa e um bom conhecimento técnico, para que a compra não seja feita errada e você se arrependa depois. (Foto: ixbtlabs.com)

Placa mãe: slots de expansão e suporte SATA (com RAID)

Slots de expansão são portas que a placa mãe tem para diferentes padrões de comunicação com outros dispositivos. Nisso estão inclusos o padrão Bluetooth, USB 2.0, USB 3.0, eSATA, Firewire. Quanto mais portas desses tipos sua placa mãe tiver, melhor.

Toda placa mãe também deve ter suporte a SATA, que é o padrão mais rápido de transmissão de dados para discos de armazenamento. Opcionalmente, você deve comprar uma placa mãe com suporte a RAID, uma forma de usar mais de um disco rígido de forma eficiente e mais rápida, com menos risco de perda de dados.

Reputação e compatibilidade da placa mãe

Existem, literalmente, milhares de placas mãe no mundo, e apenas algumas centenas realmente tem boa qualidade. Pesquise em fóruns, em revistas especializadas e com amigos, quais são as melhores placas. Lembre-se que a qualidade mais importante de uma placa mãe é a confiabilidade, ou seja, que ela não vai falhar com você na hora de necessidade. Desempenho dá pra obter de outras formas, e já vimos muitas placas mães com excelente desempenho duraram por apenas poucos meses.

Além da confiabilidade, a compatibilidade é importante. Por compatibilidade, estamos falando de uma placa mãe que funcione em versões recentes do Windows, Linux, ou outros sistemas operacionais de sua escolha. Se não há drivers disponíveis no site oficial da fabricante para o sistema operacional que você quer usar, é um sinal de que a placa mãe pode não ser a certa para você.

Recursos integrados à placa mãe

Quer áudio ou vídeo integrado na placa mãe? Se você não planeja usar o computador para jogos, edição de vídeo, ou multimídia, então você pode ser capaz de economizar dinheiro comprando uma placa-mãe offboard, com placa de som e vídeo integrados.

Custo da placa mãe

Mesmo se você estiver economizando, a placa-mãe não é o lugar para cortar custos. Tente um ter um gabinete menos sofisticado, em vez disso. Uma boa placa-mãe é mais importante do que luzes de neon no gabinete. Tenha certeza disso: investindo mais em uma placa mãe, você vai ter um computador que pode durar o dobro, talvez o triplo do tempo do que um computador normal duraria.

Função de um processador

O processador é o cérebro de um bom computador. Só que sem um bom sistema nervoso, que é a placa mãe, não vai adiantar muito. (Foto: www.intel.com)

Número de núcleos do processador

O núcleo é a parte que realmente processa números em um processador, que é tudo o que qualquer CPU realmente faz quando você o liga. Em outras palavras: seu computador é uma calculadora turbinada. Quanto mais núcleos, mais cálculos simultâneos um processador pode realizar ao mesmo tempo. Isso não vai resultar, necessariamente, em maior velocidade para seu computador. Para o chamado usuário comum (uso não profissional), geralmente o resultado do uso de mais núcleos será uma economia de energia.

Plataforma do processador/form factor e soquete

A plataforma do CPU e seu soquete influenciam não apenas o formato do gabinete e a placa mãe que dará suporte ao processador. A plataforma e o soquete também definem o tipo de cooler que você vai precisar para seu processador, além dos dissipadores de calor, embora não haja muita padronização nessa área e muitos dos coolers e ventoinhas venham com adaptadores para diversas plataformas.

Velocidade do processador

A velocidade de um processador determina quantos cálculos ele pode executar por segundo. No caso de um processador com mais de um núcleo, determina quantas computações cada núcleo pode realizar em um segundo.

Se você pretende usar o computador apenas para para aplicações de baixos recursos, como navegar na web, processamento de texto e verificar e-mails, você pode poupar algum dinheiro comprando um chip um pouco mais lento (um ou dois modelos abaixo dos topos de linha de uma fabricante). Se você está montando um PC gamer, para fazer vídeos ou edição de música, ou usar o computador para design gráfico ou aplicativos CAD, seu processador tem que ser o melhor possível.

Cache do processador

O cache L2 de um processador preenche a lacuna entre o rápido CPU, o mais lento barramento RAM de um sistema, e o disco rígido de um computador (não considerando um disco SSD, que é mais rápido). Esse cache antecipa e armazena dados na CPU para aumentar e melhorar o desempenho. Quanto mais cache L2, melhor o desempenho da CPU. Alguns processadores tem até um cache L3 compartilhado entre os núcleos.

Reputação do processador

Assim como é com as placas mãe, o mesmo tem que ser feito com os processadores: pesquisa, comparação, e muita paciência para que você escolha o processador certo e acima de tudo, confiável às suas necessidades.

Processador Intel ou AMD?

Esta é uma das primeiras perguntas que quem vai montar um computador normalmente responder, a menos que já tenha se tornado leal a uma das marcas. Não é uma pergunta com uma resposta simples, e é por isso que deixamos essa pergunta por último no nosso artigo, para você ir pensando em outros aspectos de placas mãe e processadores antes de pensar na marca. Algumas pessoas juram que um produto da empresa ou o outro é melhor, enquanto outros apenas gostam de olhar os números de desempenho em testes.

O problema é que a escolha dessas marcas vai influenciar (bastante, inclusive) no preço final do seu kit de placa mãe e processador. Considerando que eu mesmo montem a configuração do meu primeiro computador em 1998/1999, e desde então já foram vários PCs montados para meus amigos e eu mesmo, tenho algumas coisas a dizer sobre AMD e Intel.

Processadores AMD e placas mãe compatíveis: são sempre mais baratos que a Intel, entregando um desempenho semelhante aos processadores e placas mãe intermediários e, em alguns casos, até com desempenho semelhante aos processadores topo de linha da Intel. Uma das maiores vantagens da AMD continua sendo o overclock de seus processadores, que é facilitado e incentivado pela empresa, dando uma boa sobrevida ao kit de processador e placa mãe da AMD. Mas espere ter que trocar esse sistema mais cedo do que um sistema Intel, seja pela durabilidade, seja pelo menor desempenho.

Processador Intel e placas mãe compatíveis: são sempre mais caros que a AMD. Todavia, entregam um desempenho melhor sem a necessidade de overclock, o que é uma vantagem para o usuário comum, que não quer ficar testando diferentes configurações de hardware no seu computador. Na minha experiência, percebi uma maior estabilidade nos sistemas Intel. Ainda não vi um processador Intel queimado, nem placa mãe. Os sistemas Intel tendem a ter uma durabilidade de prazo um pouco mais longo que a AMD, seja no desempenho, seja na durabilidade.

No fim, é realmente colocar os dois sistemas no papel, comparar os custos, e decidir qual o melhor para você.

E aí, como você escolhe sua placa mãe? E seus processadores? Compartilhe suas dicas para ajudar mais pessoas a montarem seus PCs!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)