A algum tempo tenho tentado utilizar a internet de maneira mais produtiva, deixando as redes sociais apenas com sua utilidade básica de realmente compartilhar coisas interessantes e usando o Youtube para aprender, estudar evoluir. Uma das formas que encontrei de fazer isto foi assistir a aulas e cursos completos oferecidos nesta plataforma de vídeo por alguns canais vinculados a universidades.

Ao assistir mais da metade deste curso de Economia da USP comecei a pensar como seria interessante se as principais universidades públicas do país gravassem e disponibilizassem as aulas de todos os semestres online, neste formato. Nesta lista de reprodução um usuário do Youtube organizou todas as aulas da disciplina “Economia Monetária – Moeda e Bancos” ministrada pelo professor e economista “João Sayad”. Imagine se você pudesse procurar no canal de uma universidade qualquer o conjunto de aulas de uma determinada disciplina de todo um semestre, e ainda com o professor que quisesse? Na minha opinião esta é uma ideia excelente e escrevo este artigo para saber das opiniões de outros.

A aula abaixo é um exemplo do que estou dizendo.

Assistir aulas no Youtube tem vantagens e desvantagens em relação ao modelo presencial tradicional. Obviamente o objetivo aqui não é substituir a inestimável troca de experiências que ocorre nos campus das universidades e muito menos espero que os vídeos sirvam de alternativa ao aluno relapso devidamente matriculado no curso presencial que opte por trocar seu deslocamento diário pelo conforto do sofá. O foco não é este. O que acredito é que o conhecimento deve ser compartilhado, tornado acessível a quem quer que seja, especialmente se todos nós já estamos pagando para que ele seja passado apenas a quem conseguiu entrar na faculdade! Gravar as aulas me parece ter um custo benefício chamativo, e que isto deveria ser avaliado mais de perto.

Em tese, quase tudo o que é investido em uma universidade federal é dinheiro público. Não há lugar para todos e há grande demanda, anualmente comprovada pela grande disputa na maioria dos vestibulares. Muitas faculdades particulares tem cursos com excelente nível de qualidade, mas sabemos que infelizmente isto não ocorre com todas. Porque não permitir que o conteúdo disseminado nas melhores universidades públicas federais do país se torne acessível a toda a população? Além do objetivo inicial de partilhar o conhecimento, os vídeos públicos poderiam até servir de parâmetro para aumentar a cobrança por qualidade em vários cursos que são ofertados de maneira superficial em outras escolas! É mais um ponto para o princípio da transparência, cada mais em voga em se tratando dos serviços e gastos públicos!

Aulas pela Internet

Image courtesy of FreeDigitalPhotos.net 

Obviamente tal projeto precisaria de um estudo aprofundado em termos de custos, mas não acredito que seja tão caro gravar e editar semestralmente as aulas oferecidas nas universidades. Um projeto piloto pode ser feito com as disciplinas mais comuns. Um padrão de gravação, edição e publicação dos vídeos pode ser criado e com o tempo teríamos ao menos 1 semestre inteiro de cada disciplina ofertada na faculdade à disposição do público! Pode parecer caro à primeira vista, mas é uma maneira muito mais barata de levar parte do conhecimento disseminado na universidade a todos que quiserem desfrutar do mesmo! Ninguém obterá um diploma desta forma, mas o conhecimento pode auxiliar muito no progresso intelectual dos brasileiros em qualquer outro sistema de ensino. Além do mais nada impede que tais vídeos online sejam um primeiro passo para uma projeto maior e mais abrangente de educação à distância a ser oferecido pelo próprio Estado!

Muitos poderão argumentar que tal modelo de ensino não tenha eficiência ou abrangência que o justifica, mas tenho também algumas observações neste sentido. Tomando como base os vídeos de todo o semestre do professor João Sayad, percebe pelas estatísticas do Youtube que cada um deles tem de 300 a 12.000 visualizações. É de se esperar que as primeiras aulas tenham mais visualizações visto que quem desiste após assistir os primeiros não termina de ver toda a lista. Mas se considerarmos apenas 300 visualizações por vídeo e que cada turma presencial teria em torno de 30 alunos, podemos concluir que o equivalente a 10 turmas de economia assistiram às aulas online no período de 1 ano desde que as mesmas foram publicadas! Se tal disciplina for ofertada pelo professor Sayad 2 vezes por ano, seriam apenas 2 turmas presenciais neste mesmo período de tempo, e certamente a um custo muito maior.

Claro que há muitas diferenças na qualidade do ensino à distância em comparação com as aulas presenciais. Nas aulas presenciais a interação com o professor permite resolver dúvidas em tempo real, fazer perguntas, obter respostas e fornecer o feedback necessário para que o mestre conduza a aula da melhor maneira. No aprendizado online há também a possibilidade de interação através de comentários e o mais importante: o overhead e o custo são mínimos! O aluno não perde tempo nem dinheiro com deslocamento. As duas horas que seriam desperdiçadas na ida e na volta de casa até a sala de aula podem ser muito melhor aproveitadas lendo todo o material de apoio sugerido pelos professores.

Como eu disse no início, meu objetivo é levantar esta discussão e obter opiniões a respeito desta ideia. Quem quiser debater o assunto, por favor compartilhe este artigo nas redes sociais e deixe aqui também os comentários pertinentes. Tentem responder aos questionamentos abaixo nas alegações contra e a favor desta ideia.

  • Porque as aulas das universidades públicas deveriam ser gravadas e publicadas abertamente na internet?
  • Seria bom para o país ter mais conhecimento tornado público?
  • Quais as desvantagens de tornar públicos os vídeos de algumas aulas das universidades públicas?

Estes 3 itens já são suficientes para instigar uma conversa sobre este assunto! Por favor, deixe sua opinião que todos queremos saber!

Um comentário para “Gravar todas as aulas das universidades públicas! Boa idéia?”

  1. Anderson Chaves

    Concordo demais com você. Aulas gravadas das universidades públicas devem ser gravadas pra ontem!

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)