Pouca gente sabe que você não precisa ter um mestrado para fazer um doutorado. Apesar deste ser o caminho natural das coisas, dependendo da amplitude de seu projeto, você pode acabar indo direto para um doutorado. Porém, quem é que precisa de um mestrado ou doutorado?

Muitos procuram estes títulos para avançar em seus campos e ganhar aumentos. Outros procuram para mudar campos de carreira. Por exemplo, digamos que você ganhou um diploma de bacharel em engenharia, mas decidiu que você quer se tornar um professor ou coordenador de escola. Um mestrado/doutorado na área de educação pode ser o que você precisa para realizar seus sonhos.

O principal propósito deste avanço no conhecimento é se aprofundar em uma área específica através de estudos mais direcionados, tornando um indivíduo mais apto a lidar com certos conhecimentos. É algo como uma especialização, só que ela também irá trabalhar para que você esteja apto a repassar este conhecimento para outros, capacitando mestrandos e doutorandos a não só pesquisar, mas também a lecionar no ensino superior.

Funcionários públicos, talvez, sejam os primeiros profissionais para os quais o mestrado e o doutorado foram feitos. Há muitos incentivos, tanto financeiros quanto de trabalho, uma vez que alguns cargos oferecem a licença remunerada para que a pessoa possa se dedicar aos estudos.

Muitos estudantes estão optando por continuar na carreira acadêmica antes de saírem para o mercado, buscando o mestrado antes de tentarem um emprego. Este caminho é errado, uma vez que o mercado não está arriscando mais como antes na busca de novos profissionais. Lógico que há exceções, mas as empresas preferem mais o conhecimento técnico/prático do que o teórico.

O mestrado e o doutorado no Brasil, em algumas faculdades, também tem um foco bem distante da realidade, isto é, é estritamente de uso acadêmico, sem aplicação na realidade imediata, o que pode ser frustrante para alguns. É do perfil do ensino superior brasileiro a teoria mais valorizada que a prática, e a interação das duas é quase nula na maior parte das vezes, sendo este currículo justificado por muitos professores de ensino superior como uma “necessidade”, o que é uma visão errada.

Mestrado e doutorado

Apesar do que seus professores dizem, nem todo mundo precisa de um mestrado ou doutorado para crescer na carreira e ganhar mais dinheiro. (Foto: ufpi.br)

Caso queira garantir um conhecimento técnico, a melhor opção são os MBAs, que tem um foco prático mas sem deixar o teórico de lado. É bom “viver” um pouco do curso de mestrado/doutorado que você pretender fazer, principalmente como ouvinte das matérias, conversando com os professores e lendo o material publicado para saber se o curso atenderá às suas expectativas.

Além dos incentivos financeiros do mestrado ou do doutorado, quem quer lecionar para o ensino superior não tem como fugir destas titulações, sendo necessário que invistam tempo nestes estudos.

Funcionários que buscam cargos de diretorias/presidência dificilmente conseguirão tais cargos sem um aprendizado mais avançado na sua respectiva área de conhecimento.

Quem é autônomo e busca mais dinheiro, dificilmente vai o encontrar em um mestrado ou doutorado, sendo mais recomendado que faça cursos e/ou oficinas de empreendedorismo.

É necessário um bom tempo refletindo sobre essa decisão, já que o trabalho científico vai tomar uma boa parte de seu tempo antes, durante e depois dos estudos. Reflita, pense e analise sua carreira agora e sua projeção futura para ela. Assim, terá uma boa ideia de onde poderá parar.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)